terça-feira, maio 31, 2005

Dia Europeu do Vizinho

Eu já saí para conviver com alguns vizinhos, e você?

Cá na aldeia, o conceito de vizinho é algo diferente do que se pratica nas grandes cidades. Aqui, tenho vizinhos que moram a mais de 300m da minha casa; em Lisboa apenas tenho vizinhos no meu prédio. Não é a relação de proximidade física, por si só, que determina quem são os vizinhos. Mas seja para nos dispensar um bocadinho de açúcar, seja para trocar dois dedos de conversa ou algo de maior, eles lá estão, e ainda bem que podemos contar com eles.

Cá na aldeia, um vizinho quase faz parte da família. Quer se goste ou não, lá está ele a dar palpites que ninguém pediu. Toda a gente sabe o que se passa na casa do vizinho, e se não souber, há-de haver um vizinho para lhe contar... Tu casa es mi casa.

Não me interpretem mal, não pensem que tenho alguma coisa contra os vizinhos: eu fui criada por uma vizinha, brinquei com os putos vizinhos (e como nós aprontávamos!, que saudades...), muitas das coisas que aprendi foram-me ensinadas por vizinhos. Mas é essa mesma familiaridade que lhes acaba por dar um bocadinho de direito de se intrometerem na minha vida.

Ainda sou do tempo em que os vizinhos iam à casa uns dos outros a pretexto de "confraternizar", mas com o real intuito de ver televisão em casa alheia, ou então de filar uma chouricinha regada com um bocadinho de vinho novo. Mas depois os vizinhos eram generosos na retribuição, e ela chegava sempre em forma de produtos hortícolas. Haverá coisa melhor que comer batatas ou cenouras acabadinhas de colher e sem químicos?

Como em tudo na vida, há sempre os bons e os maus. Há o vizinho simpático e disponível que está sempre pronto para nos ajudar sem pedir nada em troca e há o regateiro resmungão que nos tira do sério de quando em vez. Tinha uma vizinha tão regateira, tão regateira (Deus a tenha), que ela sabia melhor do que os meus pais a que horas tinha eu chegado na noite antes e não se inibia de lhes pedir explicações por eu ficar na rua até tão tarde.

Tenho um amigo, um city boy muito dado a confraternizar com os vizinhos. Se ele tivesse sido criado aqui, queria ver se isso seria assim. Eu até o compreendo; se eu tivesse vivido anónima entre a vizinhança também ia querer ter vizinhos "à séria" e fazer aquelas festarolas de bairro e tudo o mais. Mas isso tive eu toda a vida e assim aproveito em Lisboa para poder passar uns dias despercebida sem que quem vive à minha volta saiba sequer como me chamo, quanto mais o que é que eu faço nos dias em que não estou lá.

Nª Srª não apareceu num sobreiro

"Que escândalo como este atinge um partido que se diz herdeiro dos valores cristãos, eis uma gigantesca ironia que só torna ainda mais triste este tristíssimo caso. A não ser que a possibilidade da confissão facilite a prática do pecado."

João Miguel Tavares in DN – 13.05.2005

Aventura chinesa

A misteriosa China já não exporta o pequeno livro de Mao Tse Tung. O maoísmo evoluiu da exploração do homem pelo homem para a exploração do homem pelos maoístas.

Miguel Gaspar in DN - 04.05.2005

segunda-feira, maio 30, 2005

Oiço passos!

O actual Governo prefere uma política gradualista de pequenos passos ao anúncio estridente de grandes reformas que, como se viu no passado, não passam normalmente de intenções piedosas. Um pequeno passo pode indicar um caminho e ter força de exemplo para passos mais ambiciosos. Só que um pequeno passo é, em si mesmo, um pequeno passo. Uma sucessão de pequenos passos ajuda a criar um ambiente de simpatia e popularidade em torno do Governo, mas, ao fim de algum tempo, o seu efeito desvanece-se e defrauda as expectativas que gerou. (...)
O Governo dá passos, é um facto. Mas dá passos em frente ou passos em volta?

Vicente Jorge Silva in DN - 29.04.05

Défice para uns e para outros

Para uns, há que reduzir as despesas no sector público (em particular dos funcionários públicos) argumentando que é aí que está o peso principal no défice e que aumentar a receita indo buscar dinheiro ao sector privado apenas agravará a situação económica, reduzindo o consumo e o investimento e aumentando o desemprego.

Para outros, há que aumentar os impostos, combater a fraude fiscal e os denominados privilégios económicos, pois apenas assim se distribuirão os sacrifícios de forma equitativa.

Aparentemente aborda-se o mesmo problema através de dois modelos diferentes de sociedade. Para os primeiros, o Estado é o problema e o sector privado a solução. Para os segundos, o Estado soluciona os problemas criados pelo sector privado. (…)

O défice orçamental é, na verdade, resultado de um défice democrático. O défice é "democraticamente" decidido por uma geração e pago por outra geração.


Miguel Poiares Maduro in DN- 25.05.2005

Desabafos tristes que nem deviam constar aqui

Num dia em que se devem tomar decisões acertadas (tipo o Ano Novo, neste caso, o meu 25º) dei-me conta de que ando a ouvir muita música lamechas. Mudei a minha playlist para a secção de jazz e não é que me abre logo uma música de Nina Simone? «I loves you, Porgy»... Será algum prenúncio?

Anyway, resolvi desfazer-me de muita coisa que já só andava a atrapalhar e foi assim que comecei o dia. Primeiro, pus o sono em dia. Depois, fui acabando as coisas pouco a pouco: o café, o champô, o alho francês à Brás, acabei com a vontade de ver "O Reino dos Céus" (bendito sejas, Orlando Bloom, por existires!), um copito com os melhores amigos que se pode desejar e com isto tudo até consegui acabar com o dinheiro do mês. Com sorte ainda acabo mais um trabalho da faculdade. Houve mais qualquer coisa que acabou, mas para bem da minha sanidade mental, ainda bem! Tenho o triste hábito de deixar as coisas a meio, que é como quem diz, desisto facilmente.
Afinal, parece que não é preciso esperar até aos 40 para se começar a ter juízo!

domingo, maio 29, 2005

Haja alegria!

Estamos todos de parabéns: o Madeira SAD é campeão do nacional de Andebol.

Alberto João ainda faz algumas coisas bem. Com dinheiro dos impostos que todos pagamos, continentais inclusive, investe no desporto do arquipelago pelo qual dá a cara, e a barriga.

Quanto ao Madeira SAD, um bem haja deste vosso associado forçado!

Regresso ao passado



Quem acede ao sítio da Lusa por um browser "estranho" como o Opera, depara-se com uma viagem ao passado. A data em que estou, para a Lusa, é 1 de Janeiro de 1970. Vá lá, a hora está correcta.

Programador que se considere profissional tem de adaptar o seu produto não só ao universal Internet Explorer, mas aos restantes. Nem todos amam, se rendem, à Microsoft. Por outro lado, um lapso destes associado à nossa agência de notícias, não é prestigiante.

Merry-go-round

Esta manhã, em Armação de Pêra contei seis rotundas onde antigamente só havia uma. Das novas cinco, uma ou duas eram necessárias. Há pelo menos uma que não se percebe o que está lá a fazer. Será que querem bater algum record?

Que mania esta, de se construir rotundas atrás de rotundas! Em Évora, a caminho de Portalegre, contei sete rotundas no ano passado. Em Messines não havia rotundas até há coisa de dois ou três anos, quando acabaram a A2. Agora temos três, duas delas sem qualquer iluminação (tenho de ver se existe sinalização, não me lembro de ter visto lá nada).

Durante a época de exames costumava ir a pé para a faculdade e quase todos os dias passava perto da rotunda do Marquês. Não raras vezes havia lá um ou dois carros acidentados. Eram coisas pequenas tipo um toque, uma mossa, mas o bastante para uma boa dôr de cabeça. Será que os condutores lisboetas têm algum problema com os semáforos? É bem conhecida a adoração nacional pela côr verde, seja ela verde verde ou verde tinto. E será essa a explicação para a construção de tantas rotundas? É que, vistas bem as coisas, isso é apenas uma maneira de contornar o problema, não de o resolver

sábado, maio 28, 2005

A figurinha

Marisa Cruz será a anfitriã dos “Shooting Stars”, novos talentos do cinema europeu, neste Sábado na cerimónia de abertura da 21ª edição do Festróia.




Que faça melhor figura que no Festival de Cinema de Berlim, de Fevereiro passado. Foi a última, das "Shooting Stars" a chegar ao evento.... e atrasada. Para se ser boa (modelo, actriz, apresentadora de tv, anfitriã, etc), não basta parecer...

sexta-feira, maio 27, 2005

Alerta azul

Viagra pode causar cegueira!
Não bastava dizerem que a masturbação fazia crescer pêlos nas mãos, agora tinham de se lembrar desta. Qualquer dia ainda se lembram de dizer que sexo selvagem pode provocar ataques cardíacos

Ora cantas tu, ora canto eu

Aí está, portanto, a alternância entre PS e PSD no seu melhor: o partido que ganha aborta tudo o que estava em curso e avança com novos projectos. Normalmente, o ciclo eleitoral não lhe permite concretizá-los, e sucede-lhe de novo o outro partido, que tratará de fazer voltar à estaca zero o que entretanto pudesse estar a começar.

Pedro Rolo Duarte in DN 06.05.2005

Puxar as orelhas aos meninos mal comportados

Défice: Portugueses têm direito a accionar judicialmente Estado

Esta conclusão pertence a Manuel Monteiro, o "foragido" do CDS-PP.
Mais do que uma labareda de protagonismo do PND, trata-se de uma afirmação com razão de ser. Nos 30 anos de regime participativo, obedecemos a quem nos manda mas não obtemos responsabilização dos "notáveis" que têm ajudado ao piorar da situação económica do país.

quinta-feira, maio 26, 2005

2011, odisseia no Cartaxo

Cartaxo prepara parque temático alusivo ao vinho com área equivalente a 100 campos de futebol.

É ver crianças alegres a rodopiar no carrocel da pipa e pensionistas seus avós a tentarem encontrar o equilibrio após um almoço bem regado.

quarta-feira, maio 25, 2005

Round and round we go II

Pedagogias

Vicente Jorge Silva in DN - 20.05.2005

Efemérides



Tenho um fraquinho por histórias que acabam mal. Talvez por isso a história de Robert Capa e Gerda Taro me fascine tanto.

Dela se diz muita coisa, nem sempre consensual. Numa busca rápida e mal amanhada fica-se a saber que Gerda Pohorylles, de seu verdadeiro nome, nasceu em Estugarda, Alemanha e mudou-se para Paris após a subida de Hitler ao poder. Em 1934 conhece o húngaro Andre Friedmann, um fotógrafo talentoso, mas cujo trabalho não era r€conhecido. Juntos criaram o mito, Robert Capa (na verdade, o alter-ego de Friedmann) - um fotógrafo americano muito reconhecido e do qual eram agentes, conseguindo assim vender as fotos de Friedmann pelo triplo dos preços praticados na França. Gerda aprende a fotografar, muda o apelido para Taro e começa a acompanhar Robert Capa nas suas saídas fotográficas.

Gerda Taro e Robert Capa foram uma espécie de Bonnie & Clyde da fotografia, mas como em tudo na vida, houve um dia em que o fim chegou.
Guerra Civil de Espanha, 1937. Capa tem de voltar a Paris, mas Gerda fica em Madrid. Juntamente com Ted Allan, vai clandestinamente fotografar a frente de batalha. Perto de Valdemorrillo dá-se um ataque aéreo, um tanque republicano descontrolou-se e caiu em cima de Gerda.

De Capa é o que se conhece. Destemido fotógrafo de guerra, esteve presente nas maiores batalhas do seu tempo: Guerra Civil de Espanha, II Guerra Mundial (a invasão do norte da África, da Sicília e, na Itália continental, as batalhas de Nápoles e Montecassino, o desembarque na Normandia no dia D), Vietname... Pelo meio ainda teve tempo para fundar a agência Magnum, juntamente com Chim Seymour e Cartier-Bresson.
Era seu o lema: "If your pictures aren't good enough, you aren't close enough". Por se ter aproximado demais, pisou uma mina perto de Thai Binh, no Vietname. Morreu em serviço, faz hoje 51 anos.


A ambos: Shalom.

PS:Encontrei também uma peça de ficção escrita por Nil Thraby: um diálogo imaginário entre Gerda e Capa que, depois de mortos, se encontram no 65º aniversário da despedida das Brigadas Internacionais. En castellano, por supuesto!

Medidas com rugas

A situação do deficit é má e diz-se que se tem de tomar medidas impopulares. Alguma vez se tomaram políticas populares nestas últimas décadas?

segunda-feira, maio 23, 2005

Onde o pombo caga

Desconheço se na Av. dos Aliados (Porto) poisam pombos, mas pelos vistos é sitio finesse reservado a certos portuenses. O portuense que seja afiliado de outro clube que não merece, para os portistas, estar naquela avenida a comemorar. Pombos ficaram de um lado e águias de outro.

A diferença entre portuenses e portistas existe. São boas maneiras de certos ernegumenos a quem Rui Rio tirou privilégios. Se calhar tinha razão, mas o autarca lisboeta já fez ver que receberá de braços abertos a equipe vencedora do campeonato nacional de futebol da época 2004/2005.

Irresponsabilidade e/ou loucura

A perplexidade tornou-se normal.
Um ministro, Telmo Correia, que assina um despacho. Um ministro que sessenta segundos depois de uma decisão responsável faria precisamente o contrário. E confessa o seu acto de pura irresponsabilidade com a maior das canduras. (...)
Estamos todos loucos se pensarmos que os ministros só existem para confirmarem o que os serviços lhes dão a assinar.


Raul Vaz in DN 13.05.2005

domingo, maio 22, 2005

Coeficiente emocional

"Yes, I said that I was not really interested in playing with Satanic [bands], and that is because I changed my outlook on life and my spritual beliefs over three years ago. I became a Christian, yes, and I have made even more mistakes now that I have, because there are things I do that I know I should not do, and things I do not do that I know I should."

Os nomes da contra-corrente americana, enchem as fileiras dos exércitos do "bem".
O amigo Dave Mustaine dos Megadeth, com um passado de caveiras nas capas, monstrinhos do "demo", sons do "barulho", refaz o seu passado. Mustaine deixou a bebida e "ervas aromáticas". Acreditem, mudou de vício.



Talvez seja a altura ideal para voltar a partilhar os palcos com Marty Friedman, senhor que foi aconselhado pelo seu guru a largar bandas de energias negativas, como Megadeth.

"To the Droogie that is set on insulting me about my beliefs, I understand. It is easy for a person with no beliefs to mock someone who does. I don't know if you do (I hope so), but it appears not. Because if you did, you would say, 'Well, those are Dave's beliefs, they are not like mine, but if mine are to be respected, than so should his.'"

Assim como é impossível estar parado sem pensar, não é natural que uma pessoa não tenha valores que acredite e defenda.

A maioria dos americanos, muito rebeldes na adolescência, é vencida na sua luta contra a crise da meia-idade. A tríade Cristo, Família e Pátria torna-os planetários amáveis e felizes.

"The moral to the story is this . . . I don't like certain bands and that will never change that in me."

A moral é: coisa mais certa no humano é a mudança. Aceito-a e fica a nota: Dave Mustaine e todos os jovens inconformados arrogantes caem

sábado, maio 21, 2005

sexta-feira, maio 20, 2005

"O cineasta português Ivo Ferreira, que esteve preso no Dubai por consumo de haxixe, apelou ao Ministério dos Negócios Estrangeiros para que disponibilize informações sobre os vários países no sentido de evitar detenções como a sua."

in Destak - 12.05.2005

... e já agora um catálogo com os melhores pontos de consumo, entregue aos consumidores de haxixe à saída do país.

Figo seco

Eu por acaso gosto muito de figos secos, com nozes ou com amêndoas... Não é o figo fruto que quero comentar, mas o Figo jogador de futebol.

Se não me falha a memória, após o Euro 2004 realizou uma conferência de imprensa afirmando que iria abandonar a Selecção Nacional. Desde essa altura passou quase um ano e o jogador que deixou de ser titular indiscutivel no Real Madrid e começou a sentar-se no banco, agora quer dar mais un chutos na bola. E para onde se virou ele? Para a Selecção Nacional, pois claro! O Scolari parecia-me alguém de convicções fortes, aceitou a situação sem qualquer dúvida. Então e os restantes jogadores, que até têm dado conta do recado, em que situação ficam?

Eu admiro muito o Figo como jogador que tanto deu ao futebol português. Mas um verdadeiro profissional também mostra que o é, quando chega a altura de guardar as chuteiras.

Round and round we go

Apertar o cinto, políticas impopulares, medidas rápidas (... consequências lentas).

Discurso do oásis.

Discurso da tanga.

Eleições.

Discurso da esperança, mas...

Apertar o cinto...

quinta-feira, maio 19, 2005

Irreal surreal

"As pessoas, realmente, mostram ser incultas. Se tivessem o mínimo de cultura sabiam que o surrealismo era uma filosofia e não um sinónumo de disparate. E, depois, é gente na Assembleia da República, são ministros que usam o surrealismo como se fosse sinónimo de loucura. E em todos os dicionários está uma explicação de surrealismo como sendo um movimento intelectual."

Cruzeiro Seixas in DNa - 01.04.2005

Quem nunca pecou, que atire a primeira pedra

A distância já não é problema para fazer chegar um pedido de oração à Virgem Maria. Através da internet, o Santuário de Fátima recebe centenas de solicitações todas as semanas, enviadas dos quatros cantos do Mundo. (...)

Basta entrar no serviço, escrever a mensagem e carregar na tecla ‘enviar’. Em poucos minutos, a solicitação é recebida no Centro de Comunicação Social do Santuário, impressa e entregue a uma religiosa do Serviço de Peregrinos, que a coloca aos pés da Virgem, na Capelinha das Aparições.

Deus deve rejubilar-se lá no céu, por tanta arte & manha que, os seus auto proclamados representantes, tem usado para espalhar a fé.

quarta-feira, maio 18, 2005

De vagar se vai ao longe



Fonte: DN

Fátima. Turismo sénior?

Quase que vivo...

... sem televisão

Informação, alguns documentários e séries e pouco mais. Geralmente gravo para mais tarde visionar.

É uma opção que faço. Disponibilizo assim, tempo para outras áreas do lazer e saber.

Já não sofremos de falta de fontes de ocupação das 24 horas. O problema é hoje em dia é como organizármos o nosso tempo com a overdose de conhecimento, informação, entertenimento que nos chega à "pele". Valha-nos que boa parte dele é de deitar fora.

terça-feira, maio 17, 2005

Ironias

(...)"As parcerias para a inovação e o emprego , ao associar empresas e instituições de ensino, formação, investigação e de apoio institucional e financeiro, podem tornar-se motores da exploração de novas áreas decrescimento e criação de emprego. Estas parcerias devem ser promovidas ao nível de clusters ou de regiões."(...)
Excerto do programa do XVII Governo Constitucional.

Esta tarde, liguei para o departamento de Recursos Humanos da Assembleia da República para saber se aceitavam jovens licenciados para estágio profissional ao abrigo do IEFP, na área de revisão de texto (para quem não sabe, é uma medida de incentivo à empregabilidade de jovens que tenham concluído um grau de ensino - mais informações no portal do IEFP).

Foi-me respondido que não, apenas aceitam jovens para estágios não remunerados.
1ª ironia: Querem combater o desemprego, mas não dão o exemplo.
2ª ironia: Já precisavam de um revisor de texto, a julgar por aquele trecho...

Fracos e oprimidos

"Os empresários são a base de legitimação ideológica, em qualquer país civilizado, de uma direita democrática mas, em Portugal, os empresários dependem do Estado. Fracos, esperam ser protegidos da concorrência, dos chineses, dos espanhóis, dos sindicatos, da seca, das chuvas, da Europa. São os mais antiliberais dos antiliberais. Num país pobre, só multinacionais e economistas é que gostam do mercado livre."

Daniel Oliveira in Expresso - 16.04.2005

MemoriesII

As minhas preces foram atendidas: a série Verão Azul vai ser comercializada em DVD, disponível a partir de 25 de Maio e a um preço inacreditável (€29.95!).

Se alguém estiver com dúvidas sobre o que me oferecer no aniversário, aqui está uma boa dica. Combinem antes para não me oferecerem todos o mesmo :p

Assassínios em massa

Esta dificuldade de lidar com o mal como humano ainda hoje se manifesta na
tendência para considerarmos que alguém que mata uma pessoa é um assassino,
enquanto quem mata milhões é vítima de uma doença mental.


Miguel Poiares Maduro in DN - 04.05.2005

Esta afirmação prende-se com o personagem principal do filme A Queda. Não pude deixar de pensar nela quando ouvi o Luis Soares, jovem que assassinou 4 pessoas num percurso suicida que fez em contramão. Aconteceu no dia em que celebrava a compra de casa, diz.

Sensação de imortalidade? Falta da nexo? Não tinha consciência das regras de condução? Tal foi o trauma que não se lembra dos motivos que o levaram à estrada.

Todos erram, mas para quem cometer um acto horrendo como este, 25 anos são bem aplicados. Luis Soares leva já três na cadeia. Necessitamos de mais exemplos como o dele.

Enquanto o jovem sentir que o seu comportamento não é refractário, mas uma fuga da sua natureza rebelde; enquanto o "atleta" da estrada não sentir provação de tempo e dinheiro na paga de desastres, de sustos, de mortes, continuaremos a ter de conviver com bárbaros na estrada.

segunda-feira, maio 16, 2005

Sem um brilhozinho nos olhos



Na foto da entrevista que deu ao DN há dias, Manuel Maria não tem os olhos a centilar. Será da objectiva da câmara fotográfica? Será da falta de luminosidade de Lisboa pré noite?
Ah, e porque não vem de fato de treino vestido? A mesma indomedária que apresenta nos cartazes que invadem já o município...

Memories

Na RTP, foi dia de recordar. Na minha cozinha, também!

Image Hosted by ImageShack.us

Não existe relação directa entre os pudins Boca Doce e o Festival da Canção. Pelo menos, não aparentemente. O único ponto que lhes consigo encontrar em comum tem a ver comigo e com a memória que tenho de ambos, e tanto um como outro me sabiam melhor quando era miúda.

Não sou muito nostálgica, não do tipo, "No meu tempo, é que era!". É claro que recordo com saudades muitas coisas da minha infância. Quem é que não se lembra dos desenhos animados que via quando era mais novo ou das brincadeiras com os outros miúdos do bairro? Dos tempos em que mal havia telefone, quanto mais telemóvel! Ou de quando a única alternatival à RTP1 era a RTP2 (e que longe vão os tempos do "Agora Escolha", o Tom Sawyer, o Verão Azul e o Bocas!, céus, que saudades que tenho do Bocas e do Ted e do Toi).

Todas aquelas coisas me souberam bem porque aconteceram no tempo certo. Não gostaria de voltar a passar por aquilo tudo outra vez. Ser criança tem muita coisa boa, mas também tem muita coisa má. Não trocaria a liberdade que tenho por 3 meses de férias no Verão. Nem mesmo sabendo tudo o que sei hoje!

domingo, maio 15, 2005

Consumidor português

O consumidor inteligente é aquele que sabe dar valor (e pagar o preço) do que tem valor; sem achar que só atinge esse benefício quando trai todos os outros.

Miguel Esteves Cardoso in DNa - 01.04.2005

Demência temporal

"Durante o tempo que lá estive, percebi que quase todas as ciganas estão à beira da insanidade, guinchando «Ai que a cigana está louca!!!» Tudo a cinco éros, vá lá freguesas A cigana está louca!!!" Impressionou-me que a polícia, sempre ali por perto, não tenha dado uma ajuda a estas boas mulheres, encaminhando-as para as instituições competentes para lidar com a saúde mental."

Sónia Morais Santos in DNa 25.03.2005

sábado, maio 14, 2005

E porque não?

Clássicos são clássicos. Remar contra a maré é dificil e desprestigia, daí que a moda e o social-aceitismo faça de nós veiculos para a perpetuação de peças de cultura que até mereceriam a crítica.

Porque não criticar os clássicos?

sexta-feira, maio 13, 2005

A blá-blar é que a gente se entende

Reformar, concretizar, mudar - Jorge Coelho in DN - 06.05.2005

Coelhone está de volta ao circo. Rosna contra internos e externos ao seu partido, constrói castelos de sonho para Portugal, e fala fala fala. Debita comentários tão bonitos como este encimado por três verbos. Mas tanto poderia ter sido entitulado "Blá, blá, blar" que para mim significava o mesmo.

Nobre Guedes equivocou-se

Agora percebo Paulo Portas, quando insistia que Luís Nobre Guedes tinha o conhecimento adequado para estar à frente da pasta do Ambiente. Tinha... casa na Arrábida, vontade de apagar de uma paisagem alentejana um precioso conjunto de sobreiros, etc.

Ter sensibilidade para ser Ministro do Ambiente não é o mesmo que ter conhecimentos políticos. O CDS-PP fala que a constituição de Nobre Guedes para arguido é um equívoco mas, na opinião de muitos, ele dá-se tarde demais: o marialva não tinha estatura moral para cuidar da natureza compreendida no nosso território. Antes já se sabia que gostava dela. Ter casa na Arrábida é obra!

quinta-feira, maio 12, 2005

Libertem José Costa Pereira!

Mais um português detido no estrangeiro por posse de droga.
Porque poderia acontecer a qualquer um de vós, apoiamos a criação de um abaixo-assinado que reponha a justiça...

...NOT!

Sim, sim... e eu sou o coelhinho da páscoa

Todos sabem que morrem por dia, em Portugal, mais cidadãos inocentes que no Iraque, mesmo nos piores atentados. Alguma coisa está mal, muito mal, na nossa sociedade e nos comportamentos colectivos homicidas e suicidas dos condutores.

Luís Delgado in DN - 04.05.2005

A média de mortes diárias nas estradas portuguesas não será superior a seis. Pelo contrário, quando ocorre um atentado no Iraque raramente é inferior a uma dezena, mesmo que aconteça com dias de diferença. Ah, referir-se-ia Delgado a "cidadãos inocentes do Iraque" os soldados americanos? Será que leu artigo: mais de 250 iraquianos mortos numa semana ?

O que é certo é que não está contabilizado o número de pessoas (inocentes civis iraquianos) que perderam a vida após a política de pacificação que D. Bush II empreendeu pelas arábias. Dizia ele que era guerra preventiva contra o terrorismo...

quarta-feira, maio 11, 2005

Olha p’ra eles tão amigos!

Há mar e mar, há ir e surfar

Nunca gostei tanto de fazer parte das estatísticas como neste caso: o desafio era uma aula de surf. Rafa, o mestre da International Surf School prometeu e cumpriu. Logo na primeira aula, na primeira hora dentro de água, consegui pôr-me em pé.

De 25 a 29 de Maio vai haver um workshop de surf para mulheres em Sagres. Custa cerca de €110 (confirmem!!), inclui aulas, fato e prancha, alojamento e almoço. O email de contacto: portugal@internationalsurfschool.com.

Uma sugestão: as mais fraquinhas de braços como eu podem começar a praticar flexões para não fazerem a triste figura que eu fiz. A minha aula acabou mais cedo... já não aguentava o cansaço nos braços, porque um dos movimentos básicos para nos podermos levantar da prancha consiste na elevação do tronco até à zona da bacia.


PS: a zona é linda e a vista também ;-)

American Intelligence

U.S. investigators hunting for weapons of mass destruction in Iraq have found no evidence that such material was moved to Syria for safekeeping before the war, according to a final report of the investigation released yesterday. - The Washington Post

Quem diria? Afinal a inteligência americana funciona!
Pena não mudar a forma de estar no mundo, que a da governação de W. Bush tem seguido.

Irão, está na calha para futuro "ataque preventivo" e, semanalmente, a única potência planetária faz questão de lembrar que não gosta da forma como o país dos persas (gatos e não só) gere a questão nuclear.

Grow Up!

"O cineasta Ivo Ferreira foi detido no Dubai depois de umas baforadas de haxixe. (...)
Ivo apelou à compreensão do seu caso, o que é absurdo. Na verdade, antes de tratar do voo e da estada hoteleira, deveria ter-se informado sobre os costumes e leis locais, para evitar sarilhos com garotices"

Pedro Lomba in DN - 06.05.2005

Nem mais! Achei cómico quando o "cineasta" disse à RR, atordoado com semanas de reclusão, que tinha sido preso devido, ao que era para ele, "consumo ocasional".
Um senhor-cinema que não terá seguido aquela vaga de filmes e documentários, de há uma década, sobre "ocidentais" presos por consumo de droga em países asiáticos e árabes.

PS: O nosso conterrâneo foi libertado hoje. Mais um para quinta das celebridades? Pelo menos, ir-se-á contentar com o périplo pelas revistas e programas rosa da TV.

terça-feira, maio 10, 2005

Anti-celulite instantâneo e eficaz (girl stuff)

Para reduzir o efeito casca de laranja, não é preciso ir a correr comprar PerfectSlim. Vá para a praia mesmo assim, que o sol ajuda a disfarçar. A explicação é simples: à medida que a pele vai ficando bronzeada, vai ficando mais espessa, razão pela qual a celulite é disfarçada. Se a isto se juntarem uns banhos de mar e um pouco de exercício (nadar, andar, namorar...), tanto melhor. Esqueça as dietas loucas - vá à praia! E se a timidez for mais que muita, pode sempre apostar na costa alentejana. Nada como umas aulas de surf para exercitar corpo e mente e esquecer a timidez.

Mouth wide shut

Sócrates percebeu o essencial: o que os governos em Portugal precisam não é de uma central de informação para ajudar os ministros a falar, mas de uma central de persuasão para convencer os ministros a ficarem calados.

Quem aceita ser ministro fá-lo por gosto de exercer o poder e por vaidade - são estes os combustíveis que alimentam a política em Portugal.

João Miguel Tavares in DN - 01.04.2005

Quando a cabeça não tem juízo...

... o ex-colonizador é que paga.

Apoiantes de Kumba Ialá acusam Lisboa de ingerência política e militar na Guiné-Bissau

Num país com condições de fauna e flora para não ser um dos mais miseráveis em África, recordam-se os "maus" velhos tempos. Entretanto os famintos lutam por poder e os pobres lutam para sobreviver.

Cada maluco com a sua mania

Hoje é dia de ir dormir mais cedo. Estou a atravessar uma fase de hipersonia e tenho de dormir mais um bocadinho que o habitual.

Eheh, esta e outras palavras "caras" da área da saúde naquele que pode vir a ser o melhor amigo de qualquer hipocondríaco. Os nomes e os sintomas, todos muito bem organizadinhos no Manual Merck, em português do Brasil.

segunda-feira, maio 09, 2005

Comentador(a) sempre em cima do acontecimento

"Pedir a Aura Miguel para falar do novo Papa é como requisitar um jornalista do Avante! para falar de Jerónimo de Sousa. Distanciamento? Zero. Equilíbrio? Nenhum. E no entanto, ela fala, e fala, e fala."

João Miguel Tavares in DN - 29.04.2005

Goat(s) of Mendes

Major da reforma ao eterno posto. Isaltino acelera depois da travessia "imposta".
Há pouco mais de um ano, Valentim Loureiro dizia ter vontade de dar o lugar à nova geração. Agora, luta com afinco pelos cargos que detém (Liga de Futebol, Presidência da Autarquia de Gondomar, etc). Só para ser do contra ou devido a ter um processo judicial moroso à perna?
Isaltino segue pelo seu caminho.

Marques Mendes faz o que cabe a um político não popular e o cidadão de bom-senso : afastar as lapas da rochas e dar espaço aos mexilhões.

Pimenta Machado, quando acossado pela justiça estava perto de uma eleição para o seu clube (Vitória de Guimarães). A opinião que tinha, não se candidatar, mudou repentinamente, ao som da constituição do seu processo "saco azul". Disse ele que ficou emocionado com o apoio solidário dos sócios e de figuras do dirigismo...

Mais vale ser falado que esquecido e ão de reparar que a fuga é sempre para a frente... das câmaras de tv, dos jornais. E com os populares como guarda costas.

domingo, maio 08, 2005

Recordando Porto 2001, Capital Europeia da Cultura

"Andou tudo à volta daquilo que eu costumo chamar as "paneleirices da cultura". Não deixou tradição de teatro nem de música."

Rui Reininho (GNR) in DN:música - 01.04.2005

Big show SIC

Os últimos momentos da convenção do B.E. foram transmitidos pela SIC Notícias. A sua "rival" RTP N transmitia à mesma hora um documentário. RTP, SIC, TVI e muito bem, emitiam os seus programas de "variedades".

O execrável nisto é que, quando PS e PSD têm fim de semana de forró, não há TV nacional que interrompa às horas mais estranhas, que dê tempo de éter ao espectáculo político.

Não sismo contra a menor transmissão do encontro do Bloco. Considero que o espaço dado a este partido foi o lógico e ideal. Apenas acho coerente sismar contra os excessos de mediatismo de agregados políticos que, na maior parte das vezes, servem apenas como espaço de Direitos de Antena, não sendo um direito.

A inteligência e a desenvoltura da nossa sociedade também se faz pela via destas pequenas coisas. Não dar milho ao pombo gordo que raramente põe o bem da sociedade em primeiro lugar.

Ao Domingo à tarde, o português não dispensa a sua voltinha



Fonte: DN / Niquel Nausea

5 milhões de incontactáveis!

A TMN teve ontem uma campanha que permitia aos seus clientes fazer chamadas entre si, sem pagar. Esta campanha servia para comemorar 5 milhões de clientes. Mas o que sucedeu é que era praticamente impossível fazer chamadas, a ligação ia a baixo ou pura e simplesmente não havia ligação.



Esta ideia da TMN, ao início parecia excelente. 24 horas para fazer chamadas sem pagar. Era o ideal! Dava para ligar aos amigos, primos, tios, etc... Só que pelos vistos todos tiveram a mesma ideia e a rede não aguentou. Aqui deixo a minha sugestão à TMN, quando voltarem a ter ideias brilhantes como esta, verifiquem antes se a rede aguenta, ok????

sábado, maio 07, 2005

Franca-mente

Feira Franca, programa da Antena 1 foi finalizado pela direcção da Antena 1 e posteriormente substituido por outro espaço semelhante. Desde aí, a pessoa que o produzia e dava voz faz finca pé de que foi corrido injustamente do éter nacional.

É um exemplo da mesquinhez e egoismo. Protesta-se quando já não há nada a fazer, levanta-se pó. Em vez de procurar continuar o programa noutra rádio, grita ao sete ventos.

E 667, será o "neighbor" of the beast?

666 is not the number of the beast - The Independent

Calou-se a voz



A voz de Jorge Perestrelo, inconfundível timbre e personalidade do éter desportivo.
Ouvi há pouco no notíciário das 24h na TSF a notícia da sua morte. Ainda anteontem gritava golos na Holanda...

É a imprevisibilidade da vida. Quando acordamos para um novo dia, nada nos diz que cheguemos ao fim do mesmo com o coração a bater.

Era, nos últimos 20 anos, o jornalista desportivo com relato mais carismático. Os africanismos para descrever a bola a rolar de pé em pé serão recordados por muitos anos.

sexta-feira, maio 06, 2005

O pastor alemão

Ora, o grande mérito dos Evangelhos é a estruturação do discurso de Jesus em parábolas, numa linguagem metafórica que permite a abertura dos sentidos, e que por isso continua a estimular-nos, dois mil anos depois. A transformação da metáfora em dogma é uma atitude violenta e concentracionária, profundamente farisaica, que deixou um rasto de milhões de mortos ao longo dos séculos. Mas há cristãos que continuam sem perceber isso.

João Miguel Tavares in DN - 29.04.2005

Que culpa tem este comentador do papa eleito ter um bom nome para trocadilhos? Papa-ratzi, god's rottweiler, rat singer, etc.

Soube pela escrita de João Miguel Tavares, o melhor deles: Pastor Alemão. Pessoas houveram que se insurgiram contra a sua gracinha...
Acrescento-lhe a foto.



Como combater a obesidade infantil nos EUA

Oh, não! O Monstro das Bolachas vai deixar de comer bolachas. Isto porque, na nova temporada da versão americana, as célebres bolachas foram substituídas por verduras e "filetes a la plancha".

Educar os miudos que vêem a Rua Sésamo parece tarefa fácil, mas como educar os pais que levam os miúdos aos restaurantes de fast-food porque não têm tempo/paciência para cozinhar uma refeição saudável?

Quer mesmo que ele fique?



Lá como cá, a oposição também usa a "campanha negra". Nas últimas eleições chegou a Portugal, graças a iluminados "marketistas" brasileiros, mas nos EUA e Grã-Bretanha é uso corrente.

quinta-feira, maio 05, 2005

"Imperativos de consciência"

José Raúl Santos regressa à Câmara de Ourique

Não é fácil, não senhor. Ser político-páraquedista-compincha-satanista dá problemas.

Não é que José Raúl Santos, ex-autarca da C.M. de Ourique, eleito para deputado em 20 de Fevereiro pelo círculo do Porto pede, por "imperativos de consciência que se sobrepõem a outro tipo de questões", a suspensão do seu mandato para voltar à autarquia? Bom, por agora a suspensão é pedida para reinar até ao fim do mandato. O "depois", só mais tarde se saberá.

Rosas, mandem-lhe rosas. Ser-se político é quase como ser actor: mil piruetas podes dar, que o povo esquece o papel que representaste há meses. Desta categoria de políticos não precisamos. Quando assumem de vez que o voto que os cidadãos lhes deram é para respeitar?

CSI Max

Foi contágio, certamente.

A série da TVI Inspector Max, tem agora o seu gabinete CSI e bem português por sinal. Laboratório de dentista? Não, mas... batinha branca, ajudante feminina, frasquinhos lá atrás, a pose get smart (anos 60)...



Ah, é só um programa para crianças... ok.

quarta-feira, maio 04, 2005

A excepção que confirma a regra

Se o governo vai manter uma dependência estratégica em relação a forças minoritárias de extrema-esquerda, isso é muito mau, não só neste caso, mas em tudo o resto - RTP

Quem fala assim não é gago, é do CDS PP. Ribeiro e Castro põe novamente a rodar a K7 da angústia do bom cristão, rico e amigo dos que pouco têm. Mais do que isso, rebaixa o partido que leva mais a sério a função na assembleia, nomeadamente, pela pontualidade e trabalho apresentado.

"Debate sobre o Programa do Governo. Há quem apareça de manhã e se escape à tarde. No PSD, muitas bancadas vazias; no PS também. Os deputados entram e saem, mudam de lugar, conversam ao telefone. Ouve-se um burburinho constante que não é diferente de um café.
Alguém discursa. Ninguém ouve. No parlamento fala-se mas não se ouve. Há entanto una excepção: os deputados do Bloco de Esquerda estão a maior parte do tempo sentados no Plenário.
Depois admirem-se do sucesso do Bloco. Os deputados portugueses não percebem que os detalhes contam. E o Plenário da Assembleia continua sem consideração e solenidade."

Pedro Lomba in DN - 25.03.05

Ainda se admiram do "sucesso" do BE nas legislativas.
Há um ano as críticas prendiam-se com o excesso de mediatismo de um partido de "apenas" três deputados. Mediatismo depurado e "boa imprensa". O BE leva a sério a sua endigitação, contudo, em Portugal não é a atitude que conte. Nem pela imprensa, nem pelos comentadores, nem pelo eleitorado.

Se avaliar medidas políticas é entrar no campo da subjectividade, o mesmo não se pode dizer sobre a assiduidade e trabalho metódico. Num estudo de jornal, a bancada europeia da CDU que tinha dois deputados, produzia mais do que a do PS que tinha pelo menos o quadruplo de representantes.

Já para não falar da disparidade entre teoria (eleições) e prática (presença na assembleia). Mário Soares, o das ruburescentes bochechas, e o "abrupto" Pacheco Pereira levaram os cargos de deputados europeus como se de hobbies de fim-de-semana se tratassem. Estavam mais tempo no nosso país do que em Bruxelas. Ribeiro e Castro também estará. Não é caso para preocupação, o parlamento europeu não está nos nossos horizontes... mediáticos.

Não basta falar de bom senso. Pelo voto de confiança e o ordenado que os cidadãos lhes concedem, exige-se aos deputados mais profissionalismo no hemiciclo de onde é regido o país.

Pedro Mexia, tens sucessor!

(...) "Estava eu recostado na minha cadeira favorita, a regar o desafio de futebol que passava na TV com umas bejecas bem geladas que a patroa me facilitara, quando a dita me entra pela sala e perturba o meu sossego, para me ler a notícia de que a lei espanhola vai obrigar os maridos a cumprirem «tarefas domésticas». Qualquer histérica incompetente pode agora dirigir-se ao tribunal e alegar como motivo legítimo do seu pedido de divórcio que o gajo que partilha com ela o leito conjugal se recusou a mudar as fraldas ao puto, não lavou a loiça, se negou a levar os filhos à escola porque estava a refazer-se de uma noite com os amigos e sei lá quantas coisas mais." (...) Manuel Ribeiro, Notícias Magazine (24/04/05)

"Nós cá, ela lá"



Foto: Álvaro C. Pereira / CM

terça-feira, maio 03, 2005

Contra factos, não há argumentos!

Terrorismo quase quadriplicou no ano de 2004...

A política anti-terrorista (ou será pró-terrorista?) desenvolvida pelo presidente dos EUA, George W. Bush, está a resultar em pleno.

O saco sem fundo (do aspirador)

Salários milionários em empresas falidas - Correio da Manhã

Os 60 milhões que se gastou, para além do orçamentado, na Casa da Música evidenciam que o poder estatal e autárquico continua sem receio de cumprir as balizas orçamentais. Enquanto há dinheiro, não se economiza.

Em 2001 o défice dos municípios aumentou significativamente. Quatro anos depois e com eleições autárquicas à vista, acontecerá o mesmo. Obra feita advém de dinheiro empregue, e os votos, acredita-se ainda, vêm pela obra feita. A edição de sexta-feira do Correio da Manhã, no seu estilo incendiário, noticiava que o Estado pagava (pensemos no passado, ainda não há factos sobre o reinado de Sócrates) "salários milionários em empresas falidas" aos administradores indigitados para salvar empresas públicas.

Nada que não tivessemos já ouvido falar.Felizmente, continuamos a acreditar que estas situações serão punidas e evitadas no futuro. Se assim não fosse, não estavamos já num regime democrático.




Your Brain is 46.67% Female, 53.33% Male



Your brain is a healthy mix of male and female

You are both sensitive and savvy

Rational and reasonable, you tend to keep level headed

But you also tend to wear your heart on your sleeve




Dizem que o cérebro é diferente em homens e mulheres: hemisfério direito mais desenvolvido nos homens e hemisfério esquerdo mais desenvolvido nas mulheres fazem com que os homens tenham mais propensão para as matemáticas e as mulheres, para as línguas e comunicação. Nada como fazer o teste: o link está ali em cima.

Perceber o milagre económico escandinavo antes de falar de cor

Mitologia escandinava - DN

Love me or leave me

Na 6ª feira da semana passada, ao contrário do habitual, não saí. Achei que devia ficar em casa a ver o filme "Tudo isto é fado". Antes que o filme começasse, um bocadinho de zapping: encalhei no mais recente sucesso da SIC, "Juras de Amor". Nos intervalos do filme, mais zapping, desta vez para "Fiel ou Infiel", na TVI. No final, muita vontade de rir.

Ouvi falar de uma troca de galhardetes entre os dois canais acerca do "quem copia quem". Na SIC diz-se que o programa apresentado por João Kléber peca pela falta de veracidade, que é tudo encenado por actores devidamente "angariados" em bares e discotecas, com a intenção de provocar uma boa peixeirada à boa maneira de Jerry Springer.

Na TVI não sei o que se diz, mas pelo que vi, também ponho em causa a credibilidade do programa da SIC. Pode não haver actores pagos, mas a possibilidade de ganhar uma viagem ao Brasil pode levar a muitas combinações pré-programa. "Vais ser testado, vai haver uma rapariga a tentar seduzir-te. Dá-lhe trela, mas não caias, senão, já não ganhamos a viagem. Tens que parecer surpreendido quando me vires. Faz as coisas de maneira a que não desconfiem que já sabias." Ético, não?

A qualidade da versão portuguesa deixa bastante a desejar. Para um teste de fidelidade, as situações são pouco levadas ao limite. Depois de jantar com um desconhecido, a rapariga vai com ele para casa. O que seria esperado? Câmaras instaladas e muita conversa para ver se ela caía. Mas não, à espera, sentadinhos no sofá, estão os apresentadores e o namorado da rapariga que foi posta à prova, e que fica muito chateado porque ela subiu, sem sequer saber como é que o "sedutor" conseguiu que ela subisse (no caso, disse à rapariga que não gostava de deixar ninguém dentro do carro, porque a zona não era muito segura - quem é que ia ficar no carro?). Não dão oportunidade para que o clima de romance se desenrole; não estão à espera que a rapariga caia aos braços do sedutor logo no restaurante!

No caso da TVI, mesmo que as situações sejam encenadas, são levadas muito mais ao limite. Apela-se aos sentimentos mais baixos: normalmente, a pessoa que vai ser testada está desempregada e vai a uma entrevista na casa de outra pessoa cujo nível de vida aparenta estar para além de alto. Apela-se à ganância! E quando se pede um teste de fidelidade, é sinal de que qualquer coisa na relação já não está boa. Se a pessoa que vai ser posta à prova está carente, obviamente, perante um/a sedutor/a com as medidas mais do que boas, vai ter mais facilidade em deixar-se ir. A isto junta-se uma boa dose de lábia e dificilmente se acaba o programa sem que a traição seja cometida. Já a parte final, não a do encontro cara-a-cara, mas a parte da interacção com o público, podia-se dispensar. Do que vi até agora, só bichas e donas-de-casa com um QI próximo do Forrest Gump. Em vez de se tentar uma pacificação, incita-se ao "apedrejamento" verbal daquele que trai, mesmo que essa pessoa seja uma mulher que deu à luz recentemente, que também já foi traída e que não recebe atenção nenhuma por parte do marido.

Nem um nem outro merecem a minha atenção. Tenho de começar a juntar dinheiro para comprar um gravador de DVD, para poder sair à vontade e deixar os filmes a gravar. Pelo menos deixo de ver porcarias nos intervalos e sempre me divirto.

segunda-feira, maio 02, 2005

A não perder no serão...

... o regresso de...


na Sic Radical e...



... às 22h30 na Dois!

E o vencedor do trimestre é...

Novos máximos para Antena 1 e TSF

De três em três meses, tremem as chefias dos grupos privados de rádio. Pasme-se, a avaliação de todo um sector ouvido por milhões de pessoas, é feito por sondagem da marktest. Nela se baseia quem publicita e, mais que tudo, quem põe e dispõe nos conteúdos da maioria das rádios.

Desta vez pagaram as emissoras que mais apostam na playlist. Sofreram desgaste. O público jovem apostou na Antena 3. As empresas por detrás da Mega FM e BestRock continuam a lutar com as mesmas armas, as armas que usam para públicos acima dos 30 e o resultado e os seus shares vão baixando.

A rádio pública jovem é a que mais diversifica, que mais música produção nacional divulga, e que tem mais programas de autor. O inverso passa-se nas outras rádios, repetem as mesmas músicas de há 2 anos nos mesmos horários e com frases de sorriso amarelo: "a melhor música de todos os tempos". Será que as duas rádios privadas continuam a passar "Behind Blue Eyes" dos The Who, perdão Limp Bizkit 7 vezes por dia? Essa música tão bela e actual...

No sector dos menos jovens, as percetagens da Antena 1 e TSF sobem. A qualidade, no meu entender, tem sido reconhecida pelos ouvintes. A RR e RFM, lideres de audiências, estão em descida. Um retrato de mudança no país?

I'm back!

Dez dias depois, estou de volta ao meu paraíso mourisco. A semana foi produtiva, mas o regresso está a ser um bocadinho atribulado. É que... pois... eu escrevi os posts à mão (foram 10 dias em q só consegui aceder 10 minutos para ver um e-mail de máxima prioridade), eu não tinha computador em casa e agora vou ter de arranjar tempo para os passar a limpo. Essa vai ser a parte mais fácil - encontrar os rascunhos é que não está a ser nada fácil. Bem, enfim, depois logo passo isso a limpo.

Ah, many thanks pó chefinho, por se ter baldado ao coffee em que eu lhe ia dar os parabéns atrasados. Não basta já estar com remorsos, o chefinho ainda tem de fazer doer?

Daqui a menos de um mês, estou a ver que vai haver payback.

domingo, maio 01, 2005

Birra química

"Ao beber uma "mini" pelo gargalo, o pescador da Zambujeira do mar está a respeitar a Sagres. Caso a cerveja fosse deitada num copo grosso perderia muitas qualidades. Não é só uma questão de gás - é uma questão molecular."

Martins in DNa 25.03.2005